Hospital Santa Rita inicia 1º tratamento de câncer do ES com equipamento que permite maior precisão e menor risco de irradiação

Hospital Santa Rita inicia 1º tratamento de câncer do ES com equipamento que permite maior precisão e menor risco de irradiação

O Hospital Santa Rita iniciou, no dia 14/09, o tratamento contra câncer utilizando o Sistema ABC ou Air Breath Control, que consegue liberar o feixe de radiação em momentos pré-coordenados, o que leva a uma maior precisão do tratamento e diminui o risco de irradiação para estruturas nobres do corpo.

Esse sistema é o único existente no Estado e começou a ser utilizado em uma paciente com 37 anos de idade que passou por cirurgia contra câncer de mama e, agora, iniciou o tratamento com radioterapia. Estão previstos um total de 15 ciclos de radioterapia para ela. A paciente não está internada e vai ao Hospital em dias agendados para as sessões.

O Acelerador Linear em que é realizado esse tratamento, explica a médica Lorraine de Souza Juri, da equipe de Radioterapia do Santa Rita, conta com o Sistema ABC que, por meio de paradas respiratórias voluntárias e controladas pelo paciente, o feixe de radiação é liberado em momentos pré-coordenados, eliminando o risco de irradiação de estruturas nobres, como a artéria coronária descendente anterior, no caso de irradiação de mama do lado esquerdo. É uma tecnologia inovadora e única no Estado, que pode ser usada também para os tratamentos de tumores de pulmão, pâncreas e fígado.

Com esse equipamento, o Santa Rita ampliou a segurança e o conforto para os pacientes oncológicos que precisam de tratamento de radioterapia. Além do Sistema ABC, o Hospital conta, desde julho deste ano, com outras duas novas modalidades, também inéditas entre os hospitais capixabas, que conseguem precisar ainda mais o local do tumor e preservar os órgãos próximos do alvo antes de liberar a radiação.

As outras modalidades inéditas

Entre as novas modalidades está o Cone Beam CT, que realiza imagens de tomografia (acoplado no aparelho da radioterapia) antes e durante as sessões de tratamento, permitindo localizar o alvo com mais precisão antes de liberar a radiação.

A médica explica que antes de iniciar o tratamento, o paciente passa por uma Tomografia de Planejamento, que permite marcar o alvo (local do tumor) e os órgãos próximos que precisam ser protegidos da radiação. Com o Cone Beam CT, além desse planejamento tradicional, antes e durante a sessão de radioterapia, faz-se uma nova tomografia, para comparar com a anterior e garantir ainda mais precisão no tratamento.

Outra das novas modalidades oferecidas é o Sistema Clarity, que permite o monitoramento natural dos movimentos, via ultrassom, durante as sessões de radioterapia, levando a um alcance mais preciso e em doses mais altas. Essa modalidade pode ser usada para tumores de mama, próstata e fígado.

A médica explica que no Sistema Clarity, um aparelho de ultrassonografia é acoplado ao local para acompanhar o movimento do tumor e guiar o feixe de radiação. Esse Sistema permite maior concentração de dose no alvo, oferecendo não só um número menor de sessões, mas um maior controle local do tumor, reduzindo o tempo total de tratamento.

Segundo a Dra. Lorraine, o Santa Rita vai criar um protocolo clínico para o uso dessas modalidades de tratamento, o que poderá beneficiar pacientes do SUS. Como é uma tecnologia muito cara, tanto o SUS quanto os convênios de saúde ainda não cobrem essas novas modalidades de tratamento.

 

Artigos Relacionados

Setor de Endoscopia modernizado!

Nosso Setor de Endoscopia está totalmente modernizado. Mais aconchegante e mais confortável para atender tanto os pacientes quanto os médicos e as equipes de trabalho,

Ler mais